Reading time: 3 minute(s)

Por Sandro de Brito, CEO da ASA

Cabo Verde pode parecer apenas pequenos pontos ao largo do continente Africano, mas este arquipélago, constituído por 10 ilhas, registou um dos resultados socioeconómicos mais impressionantes em África desde 1991 a 2014.

Sendo o turismo um dos pilares mais importantes da economia, o sector da aviação tem definitivamente um peso decisivo na economia de Cabo Verde. Como o responsável da ASA, proprietária dos sete aeroportos de Cabo Verde, entendo que o nosso sucesso está intrinsecamente ligado ao crescimento do aeroporto e do tráfego aéreo de forma inovadora e com baixo custo.

Num país com recursos limitados para investir no sector dos transportes, um foco em soluções que nos permitam aumentar a eficiência e a produtividade é essencial. É por isso que Amadeus Airport Common Use Service (ACUS) e Altéa Departure Control (DC) nos ajudam a concretizar a nossa visão através da implementação de um Sistema de Processamento de Passageiro de Uso Comum (Common Use Passenger Processing System – CUPPS) virtual e inovador em quatro dos aeroportos em Cabo Verde.

Isto significa que, em vez de restringir as aplicações aéreas nos balcões do aeroporto, ACUS permite que os Sistemas de Controle de Partidas (DCSs) das companhias aéreas sejam alojados num ambiente de utilização partilhada acessível a partir de qualquer lugar.

O pessoal de check-in pode assim imprimir cartões de embarque a partir de qualquer local e desfrutar de uma maior flexibilidade operacional com check-in via estações de trabalho móveis, bem como uma resposta mais rápida nos períodos de alta procura dos passageiros, operações irregulares e os desafios da continuidade do negócio.

As companhias aéreas também serão beneficiadas do modelo simplificado de conectividade de rede que as permite abrir novas rotas, reduzindo substancialmente o tempo necessário para implementar as suas aplicações nos aeroportos.

Por fim, mas mais importante, ACUS irá resultar em enormes poupanças operacionais de investimentos, manutenção e escalabilidade da infraestrutura nos aeroportos do Cabo Verde.

Aeroportos típicos investem normalmente num ambiente de utilização partilhada, onde os DCSs de todas as companhias aéreas estão hospedados num servidor central fisicamente no local. Mas com a solução ACUS da Amadeus, vamos um pouco mais longe e migramos diretamente para um ambiente comum alojado na nuvem ultrapassando, assim, os desafios tecnológicos que muitos aeroportos enfrentam quando tentam expandir-se.

A parceria com a Amadeus vem num momento oportuno, quando Cabo Verde está a tornar-se um destino turístico cada vez mais popular e uma alternativa aos os países do Norte de África e Médio Oriente. Na verdade, o movimento internacional de passageiros nos aeroportos de Cabo Verde cresceu substancialmente, 7,1% em 2015 versus o ano passado.

Em tal cenário, ACUS promete ajudar-nos a escalar economicamente, atendendo às necessidades deste tráfego de passageiros cada vez maior e a melhorar a experiência geral de voo.

Shares